domingo

LIMITE ZERO - Joe Vitale



LIMITE ZERO
Joe Vitale
Uma seleção das melhores frases escolhidas especialmente por Tom R. para o blog MAIS DE MIL FRASES DE EFEITO.
Se reproduzir este resumo em algum outro veículo de comunicação (blog, TV, vídeo, revista, fórum, jornal, livro, etc.) preserve os créditos acima.

O ho’oponopono é um dom profundo que nos permite desenvolver um relacionamento
funcional com a Divindade interior e aprender a pedir que, em cada momento, os nossos erros de pensamento, palavras, feitos ou ações sejam purificados. O processo diz essencialmente respeito à liberdade, à completa liberdade em relação ao passado.
— MORRNAH NALAMAKU SIMEONA,
Mestre Principal de Ho’oponopono, criadora do Ho’oponopono da Identidade Própria nomeada um Tesouro Vivo do Parado do Havaí em 1983 pela Hongwanji Mission of Honolulu e pelo Legislativo do Estado do Havaí

O fato de eu ter aparecido em um filme de sucesso, O Segredo, aconteceu sem que eu suplicasse, implorasse, pretendesse ou coordenasse qualquer coisa.

Muitos milagres estão acontecendo na minha vida. Mas por que estão acontecendo?
Um dia eu fui sem-teto. Hoje sou autor de best-sellers, celebridade da internet e
multimilionário.

O que aconteceu comigo que deu origem a todo esse sucesso?
Sim, eu segui os meus sonhos.
Sim, eu entrei em ação.
Sim, eu fui persistente.
Mas muitas pessoas não fizeram essas mesmas coisas e mesmo assim não alcançaram o sucesso?
O que foi diferente no meu caso?
Se você examinar com um olhar crítico as realizações que relacionei, talvez perceba que nenhuma delas foi criada diretamente por mim. Na realidade, o que todas têm em comum é um espírito de planejamento Divino, no qual sou, às vezes, um participante relutante.

Vou explicar isso de outra maneira: no final de 2006, apresentei um seminário chamado Beyond Manifestation (www.BeyondManifestation.com), fortemente influenciado pelo que aprendi depois que descobri o misterioso terapeuta havaiano e o seu método. No evento, pedi às pessoas presentes que relacionassem todas as maneiras que conheciam de atrair alguma coisa para a vida delas. Disseram coisas como afirmações, visualizações, intenções, métodos de conscientização do corpo, sentir o resultado final, fazer um roteiro, usar a Técnica da Liberdade Emocional (TLE), o tapping e muitas, muitas outras coisas. Depois que os membros do grupo fizeram o inventário de todas as maneiras que lhes ocorreram pelas quais poderiam criar a sua própria realidade, perguntei-lhes se esses métodos funcionavam o tempo todo, sem exceção.
Todos concordaram que nem sempre funcionavam.
“Bem, por que não?”, perguntei ao grupo. Ninguém soube dizer ao certo.
Disparei então o meu comentário para o grupo: “Todas essas maneiras têm limitações”, declarei. “São os brinquedos com os quais a sua mente se entretém para fazer com que vocês continuem pensando que estão no controle. A realidade é que vocês não estão no controle, e os verdadeiros milagres acontecem quando vocês
abandonam os brinquedos e confiam em um lugar dentro de vocês onde não existe limite.”

Em um determinado ponto, todos os programas de autoajuda e de definição de metas falham. Eles se deparam com o fato perturbador de que, se alguém não está pronto para alcançar uma coisa, essa pessoa não sustentará a energia necessária para manifestá-la.
A pessoa desiste. Todo mundo já passou pela experiência de definir resoluções no primeiro dia do ano e esquecê-las no segundo. As boas intenções estavam presentes, mas algo mais profundo não estava em harmonia com os desejos conscientes.

Então como você pode lidar com esse estado mais profundo que não tem uma vontade imensa de atingir a meta?
É aqui que o método havaiano que você vai aprender no livro se revela bastante útil. Ele ajuda a limpar o inconsciente, que é onde reside o bloqueio. Ajuda a dissolver os programas ocultos que o impedem de alcançar os seus desejos, estejam eles relacionados com a saúde, a riqueza, a felicidade ou qualquer outra coisa. Tudo acontece dentro de você.

Uma citação do livro de Tor Norretranders, The User Illusion, resume a essência do
passeio mental na montanha-russa que você está prestes a iniciar. “O universo começou quando o nada via a si mesmo no espelho.”
Em resumo, o limite zero envolve o retorno ao estado zero, no qual nada existe mas
tudo é possível. No estado zero, não existem pensamentos, palavras, ações,  memórias, programas, convicções ou qualquer outra coisa. Existe apenas o nada.
Mas um dia o nada se viu no espelho e você nasceu. A partir daí, você criou, e
inconscientemente absorveu e aceitou convicções, programas, memórias, pensamentos, palavras, ações e outras coisas. Muitos desses programas recuam ao início da própria existência.

O propósito deste livro é ajudá-lo a experimentar o assombro e admiração de momento a momento. A partir desse estado, milagres como os que descrevi acontecerão a você. Eles serão exclusivamente seus. E serão igualmente maravilhosos, mágicos e milagrosos.
A minha experiência dessa viagem espiritual no poder além da compreensão foi quase
indescritível. O meu sucesso está além dos meus sonhos mais extravagantes. Adquiri novas aptidões, e o meu nível de amor por mim mesmo e pelo mundo encontra-se em um nível de entendimento que as palavras freqüentemente não conseguem descrever. Vivo em um estado de assombro quase constante.

Encontrei uma definição de ho’oponopono: “Ho’oponopono um processo de nos
desfazermos das energias tóxicas que existem dentro de nós para possibilitar o impacto de pensamentos, palavras, realizações e ações Divinos.”
Eu não tinha a menor idéia do que isso significava, de modo que procurei outras coisas. Encontrei o seguinte:
“Em poucas palavras, ho’oponopono significa ‘reparar’ ou ‘corrigir um erro’. De acordo
com os antigos havaianos, o erro nasce de pensamentos contaminados por memórias dolorosas do passado. Ho’oponopono oferece uma maneira de liberar a energia desses pensamentos dolorosos, ou erros, que podem causar o desequilíbrio e doença.” Interessante, sem dúvida, mas o que significava?
Enquanto eu explorava o site em busca de informações sobre o misterioso psicólogo que curava as pessoas sem vê-las, descobri que existe uma forma atualizada de ho’oponopono chamada de Identidade Própria por meio do Ho’oponopono (SITH).

Beber Água Solar Azul transmuta as memórias, reencenando os problemas na mente
subconsciente (a Criança), e ajuda o corpo a “Relaxar e deixar Deus entrar”. Pegue uma garrafa de vidro azul. Encha-a com água da torneira. Feche-a com uma rolha ou envolva o bocal com celofane. Coloque a garrafa no sol ou debaixo de uma lâmpada incandescente durante pelo menos uma hora. Beba a água; enxágüe o corpo com a água depois do banho. Use a Água Solar Azul quando cozinhar, lavar a roupa e fizer qualquer coisa que utilize água. Você pode fazer o seu café ou chocolate quente com Água Solar Azul.

Ao restabelecer esse ritmo original, o zero se abre e a Alma é então permeada de Inspirações.

Todos os homens consideram os limites do seu campo de visão como os limites do mundo. — ARTHUR SCHOPENHAUER

Finalmente falei pela primeira vez com o dr. Hew Len em 21 de outubro de 2005.

Ele explicou que trabalhou no Hawaii State Hospital durante três anos. A ala onde
ficavam os criminosos dementes era perigosa. Psicólogos iam embora todos os meses. A equipe faltava muito por motivo de doença ou simplesmente pedia demissão. As pessoas atravessavam a ala de costas para a parede, com medo de serem atacadas pelos pacientes. Não era um lugar agradável de viver, trabalhar ou visitar. O dr. Hew Len ou “E” me disse que nunca esteve profissionalmente com os pacientes. Nunca deu consultas. Ele concordou em examinar as fichas deles. Enquanto analisava as fichas, ele trabalhava em si mesmo, e à medida que fazia isso, os pacientes começaram a ficar curados.
A história ficou ainda mais fascinante quando tomei conhecimento do seguinte:
“Passados alguns meses, pacientes que tinham estado algemados estavam tendo
permissão para andar livremente”, me disse ele. “Outros que estavam tomando forte medicação estavam recebendo doses menores dos remédios. E os que tinham sido considerados como não tendo a menor chance de um dia ir embora estavam sendo liberados.” Eu estava aturdido.
“Além disso”, prosseguiu ele, “a equipe passou a gostar de ir trabalhar. O absenteísmo e a rotatividade desapareceram. Acabamos ficando com mais gente do que precisávamos, porque os pacientes estavam tendo alta e todos os membros da equipe estavam indo trabalhar diariamente. Hoje, aquela ala está fechada.”

Foi nesse ponto que eu tive que fazer a pergunta de um milhão de dólares:
“O que você estava fazendo em si mesmo que causou a mudança naquelas pessoas?”
“Eu estava simplesmente purificando a parte de mim que eu compartilhava com eles”,
respondeu ele. Ahn? Eu não estava entendendo.
O dr. Hew Len explicou que a total responsabilidade pela nossa vida significa que tudo
na nossa vida — pelo simples fato de estar na nossa vida — é nossa responsabilidade. Em um sentido literal, o mundo inteiro é nossa criação.
Uau. Isso é difícil de engolir. Ser responsável pelo que eu digo ou faço é uma coisa. Ser responsável pelo que todo mundo na minha vida diz ou faz é outra bem diferente.
No entanto, a verdade é o seguinte: se você assumir uma completa responsabilidade
pela sua vida, tudo que você vir, ouvir, provar, tocar ou de alguma maneira experimentar é sua responsabilidade porque está na sua vida.
Isso significa que cabe a você curar os terroristas, o presidente, a economia — enfim,
tudo que você experimenta e não gosta. Eles só existem, por assim dizer, como projeções que vêm de dentro de você.
O problema não é com eles e sim com você.
E para mudá-los, você precisa mudar a si mesmo.
Eu sei que isso é difícil de entender, que dirá aceitar ou efetivamente viver a idéia. A
culpa é bem mais fácil do que total responsabilidade. Mas enquanto eu falava com o dr. Hew Len, comecei e compreender que a cura para ele e no ho’oponopono significa amar a si mesmo.
Se você quer melhorar a sua vida, você precisa curar a sua vida. Se quer curar uma pessoa — até mesmo um criminoso que sofre de uma doença mental —, você o faz curando a si mesmo.
Perguntei ao dr. Hew Len como ele curava a si mesmo. O que ele fez, exatamente,
quando examinou a ficha daqueles pacientes.
“Eu apenas fiquei repetindo sem parar ‘Sinto muito’ e ‘Eu te amo”, explicou ele.
Só isso?
Só isso.
Acontece que amar a si mesmo é a melhor maneira de você se aprimorar. E à medida
que se aprimora, você melhora o seu mundo.

“Vocês têm duas maneiras de viver a vida”, explicou o dr. Hew Zen. “A partir da
memória ou da inspiração. As memórias são antigos programas que voltam a ser executados; a inspiração é o Divino transmitindo-lhes uma mensagem. Vocês precisam viver a partir da inspiração. A única maneira de ouvir o Divino e receber inspiração é limpar todas as memórias. A única coisa que vocês precisam fazer é uma limpeza.”

O dr. Hew Len passou bastante tempo explicando como o Divino é o nosso estado zero — é onde temos limite zero. Não há memórias. Não existe identidade. Nada além do Divino. Na nossa vida, temos momentos em que visitamos o estado de limite zero, mas na maior parte do tempo o que está se manifestando é lixo — o que ele chama de memórias.

“Quando eu trabalhava no hospital psiquiátrico e examinava as fichas dos pacientes”,
disse ele, “eu sentia dor dentro de mim. Era uma memória compartilhada. Era um programa que fazia com que os pacientes agissem como agiam. Eles não tinham controle. Estavam presos em um programa. Enquanto eu sentia o programa, eu ia fazendo a limpeza.”

Ele nos ensinou várias maneiras de nos purificarmos, e não posso explicar aqui a maioria delas porque são confidenciais.

Mas há um método de purificação que o dr. Hew Len usou mais, e ainda usa, que é o que usarei hoje:

Existem simplesmente quatro declarações que dizemos repetidamente, sem parar,
dirigindo-as ao Divino.
“Eu te amo.”
“Sinto muito.”
“Por favor, me perdoa.”
“Obrigado.”

Jesus teria supostamente dito o seguinte: “Procurai primeiro o Reino (Zero) e tudo o
mais será acrescentado (Inspiração).”
O Zero é a residência de você e da Divindade... “de onde e de quem brotam todas as
bênçãos: a Riqueza, a Saúde e a Paz.”

O estado zero, onde não existe limite. A partir de lá experimentamos a memória ou a inspiração. A preocupação com o peso é uma memória. A única coisa a fazer é
amá-la, perdoá-la e até mesmo agradecer por ela. Ao purificá-la, você está garantindo que o Divino terá uma chance de produzir uma inspiração.

Quando agimos a partir do estado zero no qual não existe limite, não precisamos de
intenções. Simplesmente recebemos e agimos.
E milagres acontecem.
No entanto, é possível interromper a inspiração.
Rhonda poderia ter dito não ao incentivo de fazer o filme. Parece ser aí que o livre-arbítrio entra em cena. Quando a idéia de fazer alguma coisa aparece na nossa mente — seja ela proveniente da inspiração ou da memória —, podemos escolher agir ou não em função dela, se estivermos conscientes do impulso.

Em outras palavras, você pode receber o impulso de adquirir este livro, mas pode neutralizar esse impulso se quiser fazê-lo. Isso é o livre-arbítrio.

O dr. Hew Len explicou que tudo o que buscamos e tudo o que experimentamos — tudo — está dentro de nós. Se você quiser mudar alguma coisa, faça-o interiormente, não externamente. A idéia como um todo é a total responsabilidade. Ninguém é culpado. Tudo é você.
“Mas e quando uma pessoa é estuprada?”, perguntou alguém. “Ou se acontece um
acidente de carro? Não somos responsáveis por tudo isso, somos?”
“Você já reparou que sempre que você tem um problema, você está presente?”,
perguntou o dr. Hew Len. “Tudo consiste na responsabilidade total com relação a tudo. Não há exceções. Não existe nenhuma brecha que lhe permita escapar de uma coisa da qual você não goste. Você é responsável por todas as coisas — por tudo.”

Mesmo quando trabalhou no hospital psiquiátrico, e viu assassinos e estupradores, o dr. Hew Len assumiu a responsabilidade. Ele compreendeu que eles estavam agindo a partir de uma memória ou programa. Para ajudá-los, ele teve que remover a memória. A única maneira de fazer isso é por meio da purificação, ou limpeza. Foi isso que ele quis dizer quando declarou que nunca atendia profissionalmente os clientes em um ambiente terapêutico. Ele examinava as fichas deles e, enquanto o fazia, dizia em silêncio para o Divino: “Eu te amo”, “Sinto muito”, “Por favor, me perdoa” e “Obrigado”. Ele estava fazendo o que sabia fazer para ajudar os pacientes a voltar ao estado de limite zero. Enquanto o dr. Hew Len fazia isso dentro de si mesmo, os pacientes ficavam curados.

Em resumo, ho’oponopono é simplesmente um processo de solucionar problemas. Mas ele é feito inteiramente dentro de você.

“Mas de que maneira posso explicar isso às pessoas, ou seja, que somos 100%
responsáveis pelos problemas?”, perguntou o dr. Hew Len. “Se você quiser resolver um problema, trabalhe em si mesmo. Se o problema é com outra pessoa, por exemplo, apenas pergunte a si mesmo: ‘O que está acontecendo em mim que está fazendo com que essa pessoa me aborreça?’ As pessoas só aparecem na sua vida para aborrecê-lo! Se você estiver consciente disso, poderá tornar qualquer situação mais elevada. Como? É simples: Sinto muito por qualquer coisa que esteja acontecendo. Por favor, me perdoa.

O dr. Hew Len passou então a explicar que no fundo somos todos puros; somos
desprovidos de programas, memórias ou até mesmo de inspirações. Esse é o estado zero, onde não existe limite. No entanto, à medida que vamos vivendo, adquirimos programas e memórias, quase como as pessoas pegam um resfriado. Não somos maus quando pegamos um resfriado, mas temos que fazer o que é necessário para ficar livres dele, para nos purificarmos. Quando vemos um programa em outra pessoa, nós também o temos. A saída é a limpeza, a purificação.

Ter completa responsabilidade significa aceitar tudo — até mesmo as pessoas que entram na sua vida e os problemas delas, porque os problemas delas são os seus problemas. Elas estão na sua vida, e se você assumir a plena responsabilidade pela
sua vida, você também tem que assumir a plena responsabilidade pelo que elas estão
experimentando. (Eu o desafio a repetir o que você acaba de ler.)
Este é um conceito que vira a cabeça, abre a mente e paralisa o cérebro. Vivê-lo
significa transformar a sua vida como nunca aconteceu antes. Entretanto, compreender a idéia de 100% de responsabilidade está além do que a maioria de nós está pronta para fazer, que dirá aceitar.
No entanto, uma vez que você a aceita, a pergunta seguinte é como você se transforma para que o resto do mundo também mude.
A única maneira segura é fazê-lo por meio de “Eu te amo”. Este é o código que libera a cura. Mas você o utiliza em si mesmo, não nos outros. Lembre-se de que o problema deles é o seu problema, de modo que trabalhar neles não ajudará você. Eles não precisam de cura; você precisa. Você precisa curar a si mesmo. Você é a fonte de todas as experiências.

O nosso desafio é remover todos os programas para voltarmos ao estado zero, no qual a inspiração pode surgir.

Eu estava tentando fazer o melhor que podia para purificar qualquer coisa no momento, quer eu estivesse ou não consciente dela. Vou dar um exemplo rápido sobre como isso funciona.
Um dia uma pessoa me enviou um e-mail que me deixou irritado. No passado, eu lidaria com a situação trabalhando as minhas questões emocionais críticas ou tentando ponderar com a pessoa que me enviou a mensagem desagradável. Dessa vez, decidi experimentar o método do dr. Hew Len.
Fiquei repetindo em silêncio “Sinto muito” e “Eu te amo”. Eu não estava dizendo essas
coisas para ninguém em particular. Eu estava simplesmente evocando o espírito do amor para que curasse dentro de mim o que estava criando ou atraindo a circunstância externa.
Uma hora depois recebi outro e-mail da mesma pessoa, no qual ela se desculpava pela mensagem anterior.

É importante ter em mente que eu não tomei nenhuma medida externa para obter esse pedido de desculpas. Nem mesmo respondi ao e-mail. No entanto, ao dizer “Eu te amo”, de alguma maneira corrigi dentro de mim o programa oculto limitante do qual nós dois estávamos participando. Esse processo nem sempre envolve resultados instantâneos. A idéia não é obter resultados, mas sim alcançar a paz. Quando você faz isso, frequentemente obtém os resultados que queria originalmente.

Basta dizer que sempre que quiser melhorar qualquer coisa na sua vida, desde as finanças até os relacionamentos, você só precisa procurar em um único lugar: dentro de si mesmo.

“Por que uma pessoa pode ser rica e ainda assim ser imbecil?”, indagou ele de repente. A pergunta me pegou de surpresa. Eu queria explicar que a riqueza e a “imbecilidade” não são exclusivas. Não existe nada escrito que diga que somente os anjos são ricos. Talvez a pessoa antipática seja clara a respeito do dinheiro, de modo que ela pode ser rica e mesmo assim ser idiota. Mas não consegui encontrar as palavras certas naquele momento. “Não tenho a menor idéia”, confessei. “Não creio que precisemos mudar a nossa personalidade para ser ricos. Basta termos convicções que aceitem a riqueza.”

Se a física estiver certa no que afirma, ou seja, que tudo que percebemos como sólido é formado apenas por energia, então falar com salas e cadeiras talvez possa ser uma maneira de reorganizar essa energia em uma forma nova e mais harmoniosa.

 “A minha amiga está dizendo que esta sala permitirá que realizemos aqui o nosso jantar desde que a amemos”, me disse ele. “Como podemos amá-la?”
“Diga simplesmente para ela ‘Eu te amo”, respondeu ele. Parecia tolo. Dizer “eu te amo” para uma sala? Mas fiz o melhor que pude. Eu já tinha aprendido que não precisamos efetivamente sentir “eu te amo” para que isso funcione; basta
pronunciar as palavras.

“A ciência não tem certeza do que está acontecendo na nossa vida”, explicou ele. “Até
mesmo a matemática não é clara por causa do zero. No final do livro Zero: The Biography of a Dangerous Idea, de Charles Seife, este chega à seguinte conclusão: ‘Tudo o que os cientistas sabem é que o cosmo nasceu do nada e voltará ao nada de onde veio. O Universo começa e termina com zero.”

O dr. Hew Len prosseguiu dizendo: “Assim, levei o Universo da minha mente de volta
para o zero, onde não existe nenhuma informação. Ouvimos diferentes maneiras de dizer isso: vácuo, vazio, pureza. Não me importa como vocês o chamem. A minha mente retornou ao zero agora. Independentemente do que esteja surgindo, mesmo quando não estou nem mesmo consciente disso, o processo a respeito do qual vou falar é zerar constante e incessantemente, para que eu possa estar no zero.”

Então, quem são vocês? Vocês são um ser Divino — isso é zero. Mas por que vocês iriam querer ser zero?
“Quando vocês são zero, tudo está disponível! Tudo! Então, agora, isso significa que
vocês são criados à imagem do Divino.

 “Então, vocês são criados à imagem do Divino, o que significa que vocês foram criados vazios e infinitos em um dos lados da moeda. Assim que vocês se mostram dispostos a descartar o lixo e ficar vazios, a inspiração imediatamente preenche o seu ser, de modo que vocês ficam livres.

Uma pessoa perguntou: “Mas se eu tenho um problema com outra pessoa, você está
dizendo que sou eu, e não a outra pessoa, que precisa ser corrigida?”
“Se você tem um problema com alguém, então não é com essa pessoa!” Dr. Hew Len
declarou: “Você está reagindo à memória que está aflorando. O seu problema é com essa memória, e não com a outra pessoa.”
“Trabalhei com pessoas que odiavam o marido ou odiavam a esposa. Uma mulher certa vez me disse: ‘Estou pensando em ir para Nova York, porque lá terei melhores oportunidades.
Em seguida, ouvi a Divindade dizer: ‘Bem, aonde quer que ela vá, é isso que vai junto com ela!”

Você precisa ficar no escuro para produzir a sua luz. — DEBBIE FORD

“De zero para 100” não poderia ser um slogan mais perfeito para definir a atividade emocional de um mundo viciado no consumo.
O que o ho’oponopono me ajudou a entender é que a cura e a verdadeira realização
acontecem quando nos locomovemos “de 100 para zero ‘ Muitas noções metafísicas incluem a idéia do “desapego’ mas esse nunca me pareceu um conceito completo ou perfeito para mim.
Em alguns casos, alcançar o perfeito desapego me parecia simplesmente tolo. Agora, contudo, com a volta ao estado zero, realmente compreendo a dinâmica do desapego e como chegar lá”.

Anos atrás, um amigo me indicou o The Animal Rescue Site em www.theanimalrescuesite.com.
Você pode custear comida para os animais nos abrigos entrando nesse site e clicando no botão  “Feed an Animal in Need”.13 Cada clique fornece 0,6 tigela de comida aos animais famintos. Para fazer diferença, basta um clique por dia. Visito esse site há cinco anos todos os dias, sem falta.

Enviar amor para uma situação perigosa, desagradável ou abusiva é a única coisa que podem os fazer se estamos procurando uma cura desprovida de drama e uma mudança duradoura.
Nem sempre é fácil fazer isso, mas eis a eterna resposta: o amor.

Como criar resultados mais rápidos
Não dizemos “Por favor, me perdoa” para o Divino porque o Divino precisa ouvi-lo; nós o dizemos porque nós precisamos ouvi-lo. — DR. IHALEAKLA HEW LEN

É preciso deixar uma coisa bem clara. As expectativas e as intenções não exercem
nenhum impacto na Divindade, porque a Divindade fará tudo à sua maneira e no seu tempo.

Enquanto as memórias (bloqueios! limitações) estão presentes no Subconsciente, elas impedem a Divindade de nos dar o nosso pão de cada dia.”

Quando você faz a limpeza, idéias chegam a você. E algumas delas poderão torná-lo muito, muito rico.

Como receber mais prosperidade

Passei dois dias ouvindo histórias a respeito da limpeza narradas por pessoas como você e eu. Mas tudo é muito difícil de aceitar. Apenas fazer a limpeza e dizer “Eu te amo” e o mundo passa por uma transformação? Vendemos mais carros? Ganhamos mais dinheiro? Não sei não.
“Você é totalmente responsável por tudo”, afirma o dr. Hew Len. “Tudo está em você.
Tudo. Não há exceções. Você precisa fazer a limpeza, caso contrário não há purificação.”

Parece que todo mundo que faz ho’oponopono tem uma história fascinante para
contar.

Os problemas não são as pessoas, os lugares e as situações, mas sim os pensamentos a respeito deles. A pessoa precisa aceitar a idéia de que não existe o “lá fora”. — DR. IHALEAKA HEW LEN

“A maioria das pessoas não tem a menor idéia do que significa a responsabilidade”,
prossegui. “Elas preferem culpar os outros e as circunstâncias externas. Quando elas se desenvolvem e se tornam mais conscientes, começam a se considerar responsáveis pelo que dizem e fazem. Além disso, quando você se torna ainda mais consciente, você pode começar a compreender que é responsável pelo que todo mundo diz ou faz, simplesmente porque essas pessoas fazem parte da sua experiência. Se você cria a sua própria realidade, então você criou tudo o que você vê, até mesmo as partes de que não gosta.”

 “Não importa o que o comprador ou o vendedor faça nessa situação”, acrescentei. “O
que interessa é o que você faz. O que o dr. Hew Len faz é simplesmente repetir ‘Eu te amo’, ‘Sinto muito’, ‘Por Favor, me perdoa’ e ‘Obrigado’. Ele não diz isso para as pessoas; ele o diz para o Divino. A idéia é purificar a energia compartilhada.

Certo dia ministrei um seminário com Mindy Hurt, que administra a Unity Church de
Wimberley, Texas. O seminário se chamou “The Secret of Money”. Nele, ensinei a todo mundo o método de limpeza do ho’oponopono. Depois, um cavalheiro se aproximou de mim e disse: “Tenho dificuldade em dizer ‘Sinto muito’ e ‘Por favor, me perdoa’.” “Por quê?”, perguntei.
“Não consigo imaginar uma Divindade ou um Deus amoroso que precise que eu lhe
peça perdão”, disse ele. “Não creio que o Divino tenha que me perdoar por alguma coisa.” Pensei no assunto e, mais tarde, eu soube a resposta que deveria ter dado ao homem: “Você não está fazendo essas declarações para ser perdoado pela Divindade; você as está fazendo para se purificar. Você as profere para a Divindade, mas a intenção é purificar você.”
Em outras palavras, o Divino já está derramando amor sobre você. Ele nunca parou. No estado zero, onde não existe limite, a descrição mais aproximada que podemos fazer é dizer que se trata de um estado de puro amor. Ele está lá, mas você não. Assim, ao dizer “Eu te amo, sinto muito, por favor, me perdoa, obrigado”, você está purificando os programas que existem em você que o impedem de estar no estado puro: o amor.

“Diga a estas senhoras o que você faz”, pediu o dr. Hew Len. “No passado, eu
costumava tentar resolver os problemas, fossem meus ou de outra pessoa. Hoje, não interfiro neles, mas limpo as memórias que os causaram. Enquanto faço isso, eles são resolvidos, e eu fico bem enquanto isso acontece.”
“Joseph, você pode dar um exemplo para elas?”
“A minha irmã me deixa frustrado”, confessei. “Ela estava vivendo do seguro-desemprego, a sua casa foi invadida, a sua identidade foi roubada e outras coisas. Ela não é feliz, o que me deixa frustrado. Tentei ajudá-la enviando para ela dinheiro, livros, filmes e até mesmo o DVD player para que ela pudesse assistir aos filmes. Ela não faz nenhum esforço para mudar. Mas agora não tento mais modificá-la.”
“O que você faz?”, perguntou uma das mulheres.
“Eu trabalho em mim”, respondi. “Agora entendo que a vida que ela vive não tem nada
a ver com algo que ela esteja fazendo. É um programa, ou memória, que está sendo encenado, e ela ficou presa na rede dele. É como se ela tivesse pegado um vírus. Não é de modo algum culpa dela. E o fato de eu sentir o que está acontecendo, de eu sentir a dor dela, significa que eu compartilho o mesmo programa. Preciso fazer uma limpeza. E enquanto for fazendo essa purificação, o programa também se desprenderá dela.”
“Como você faz essa limpeza?”
“Tudo o que faço é repetir sem parar ‘Eu te amo’, ‘Sinto muito’, ‘Por favor, me perdoa’
e ‘Obrigado’.”

“As frases que eu pronuncio são como as palavras mágicas que abrem o fecho do
segredo do universo. Quando recito as frases, que emergem como um poema, estou me abrindo para que o Divino me purifique e apague todos os programas que me impedem de estar aqui agora.”

Em um determinado momento topamos com um grupo de cachorros que
começaram a latir desesperadamente para nós, mas continuamos a conversar e andar. De repente, o dr. Hew Len acenou para eles, como se para abençoá-los, e disse: “Nós amamos vocês.”
Os cachorros pararam de latir.
“Tudo o que qualquer um de nós deseja é ser amado”, declarou. “Você, eu, até mesmo
os cachorros.”
Um cachorro pequeno que estava atrás dos outros ganiu levemente. Não pude deixar de pensar que ele estava dizendo: “Bem apropriado” ou talvez “Obrigado”. Ou até mesmo: “Eu também te amo.”

 “As memórias podem manter o dinheiro afastado”, disse ele. “Se você estiver purificado em relação ao dinheiro, você o terá. O universo o dará a você e você o aceitará. São as memórias que se repetem que o mantêm afastado de você ou que impedem você de vê-lo. “Como posso me purificar?” “Repetindo ‘Eu te amo’ o tempo todo.” “Eu digo isso para o dinheiro?”
“Você pode amar o dinheiro, mas é melhor dizê-lo para o Divino. Quando você está em zero, você não tem limite e até mesmo o dinheiro pode vir até você. Mas, quando você está na memória, você o impede de se aproximar. O dinheiro está cercado de memórias. À medida que você faz uma limpeza nelas, elas são purificadas para todo mundo.”

Fomos a uma lanchonete e pedimos café. Quando chegamos, o lugar estava tranqüilo,
mas aos poucos as pessoas começaram a entrar e o local ficou mais movimentado e barulhento. A energia aumentou. “Você percebeu?”, perguntou o dr. Hew Len.
“O lugar está agitado”, respondi. “As pessoas parecem mais felizes.” “Viemos para cá e trouxemos o nosso eu mais limpo, e o lugar está sentindo isso”, comentou o dr. Hew Len. Ele me falou a respeito dos restaurantes que freqüentava na Europa. As vendas estavam fracas, mas depois que ele visitava os locais, os negócios melhoravam. Ele experimentou fazer isso em diferentes lugares para ver se a mesma coisa acontecia e constatou que sim.

Atuar a partir do zero fez o sincronismo acontecer.

Uma vez mais, o Divino estava provando que é Ele quem tem todo o poder, não eu.
Tudo o que eu possa fazer é uma limpeza para poder ouvi-lo e obedecer-lhe.

Mas um homem me fez uma pergunta interessante:
“As pessoas aqui na Polônia passam o dia inteiro rezando para Deus e indo à igreja, e
no entanto tivemos guerra, a nossa cidade foi bombardeada por Hitler, vivemos muitos anos debaixo de uma lei marcial e temos sofrido. Por que essas orações não funcionaram, e o que essa prece havaiana tem de diferente?”
Fiz uma pausa para pensar na resposta correta, desejoso de que o dr. Hew Len estivesse presente para me ajudar. Em seguida, dei a seguinte resposta:
“As pessoas não recebem o que dizem, mas sim o que sentem. A maioria das pessoas
que rezam não acredita que será ouvida ou ajudada. Quase todas as pessoas rezam porque estão desesperadas, o que significa que atrairão uma quantidade maior do que estão sentindo, ou seja, de desespero.”

Uma americana apareceu certa vez em uma aula que eu estava ministrando em
Valência, na Espanha, há dois anos. “O meu neto estava com câncer”, ela me disse em um intervalo. “Rezei por ele, pedindo que ele não morresse, mas ele morreu mesmo assim. Por quê?”
Você rezou pela pessoa errada, respondi. “Era melhor ter rezado por você mesma,
pedindo perdão pelo que estivesse acontecendo em você que você estava experimentando como a doença do seu neto.”
As pessoas não se vêem como a origem das suas experiências. Raramente o suplicante dirige as suas preces para o que está acontecendo nele mesmo.
Paz do Eu.
Ihaleakala
.
Adorei a resposta perfeitamente sincera do dr. Hew Len. Repetidamente, o tema dele é que nada está fora de nós. A maioria das pessoas reza como se não tivesse nenhum poder ou responsabilidade. Entretanto, no ho’oponopono, somos totalmente responsáveis. A “prece” é pedir perdão pelo que quer que haja em você que causou a circunstância externa. A prece é religar-se ao Divino. O resto é acreditar que o Divino irá curá-lo. À medida que você for ficando curado, o mesmo acontecerá com o que está do lado de fora. Tudo, sem exceção, está dentro de você.

Não é culpa sua, mas é sua responsabilidade. — Dr. JOE VITALE

Recentemente um repórter me perguntou: “Como você se vê daqui a um ano?”
No passado, eu teria feito um relato sincero do que eu esperava realizar. Falaria sobre os meus planos, metas e intenções. Mencionaria os livros que gostaria de escrever ou as coisas que eu queria ser, fazer, criar ou comprar. Entretanto, devido ao trabalho que realizei com o dr. Hew Len, não mais declaro metas ou intenções, e tampouco faço planos. Assim, respondi ao repórter com a verdade deste momento:
“O que quer que aconteça será bem melhor do que consigo imaginar neste momento.”
Essa resposta é mais profunda do que você poderá perceber à primeira vista. As minhas palavras me surpreenderam enquanto eu as pronunciava. Também revelaram onde a minha mente está hoje em dia: estou mais interessado neste momento do que no seguinte. Enquanto presto atenção a este momento, todos os momentos futuros se expandem elegantemente.

Quando abandonamos o ego e os desejos do ego, permitimos que algo melhor nos oriente: o Divino.

Em algum momento você assiste a um filme profundamente transformador, como O segredo, ou lê um livro, como The Attractor Factor ou The Magic of Believing; e desperta para o seu poder pessoal. Você percebe o poder de definir intenções.
Compreende o poder que tem de visualizar a coisa que você deseja, entrar em ação e consegui-la.
Você começa a vivenciar um pouco de mágica. Começa a experimentar alguns resultados interessantes. A vida, de modo geral, começa a parecer bastante satisfatória.

Você está despertando. Em algum ponto, depois do segundo estágio, você começa a
compreender que as suas intenções são limitações. Você começa a perceber com todo o seu poder recém-descoberto que você não é capaz de controlar tudo. Você começa a compreender que, quando se entrega a um poder maior, milagres tendem a acontecer. Você começa a se soltar e a confiar. Começa a praticar, a cada momento, a percepção da sua ligação com o Divino.
Aprende a reconhecer a inspiração quando a recebe, e age movido por ela. Compreende que tem escolhas, mas não o controle da sua vida. Percebe que a coisa mais formidável que você pode fazer é concordar com cada momento. Neste estágio, milagres acontecem, e constantemente o surpreendem enquanto ocorrem. Você vive, em geral, em um estado permanente de assombro, admiração e gratidão.

Se tentarmos explicar com palavras, o sinal que vem do zero é “amor”. Desse modo,
dizer ininterruptamente “eu te amo” nos ajuda a entrar em sintonia. A repetição da frase ajuda a neutralizar as memórias, programas, convicções e limitações que estão atrapalhando o nosso despertar. Enquanto eu vou fazendo a limpeza, estou o tempo todo entrando em sintonia com a genuína inspiração. À medida que eu ajo motivado por essa inspiração, acontecem milagres melhores do que eu jamais poderia imaginar. Tudo o que eu tenho que fazer é continuar a fazer o que estou fazendo.

Eu acrescentaria que o despertar pode acontecer a qualquer momento. Até mesmo
enquanto você lê este livro. Ou sai para dar uma volta. Ou afaga um cachorro. A situação é irrelevante. O que importa é o seu estado interior. E tudo começa, e termina, com uma bela frase: “Eu te amo.”

Você tem escolhas, mas não tem o controle.
Você pode usar a mente consciente para começar a escolher a experiência que preferiria ter, mas precisa parar de pensar se ela vai se manifestar ou não, de que maneira, ou quando. O segredo é a entrega.

Você pode curar qualquer coisa que surja no seu caminho. Qualquer coisa que surja na sua vida, independentemente de como apareceu, está disponível para a cura simplesmente porque está agora no seu radar. A suposição neste caso é que, se você pode sentir alguma coisa, você pode curá-la. Se você a vir em outra pessoa, e ela o incomodar, é passível de ser curada. Ou então, segundo ouvi dizer, como Oprah afirmou certa vez: “Se você consegue avistá-la, você a tem.”

Em resumo, você não pode culpar nada ou ninguém pela sua realidade atual. Tudo o que você pode fazer é assumir a responsabilidade por ela, o que significa aceitá-la, admiti-la e amá-la. Quanto mais você remediar o que aparece, mais você ficará em sintonia com a origem.

O seu bilhete para o limite zero tem impresso nele a frase “Eu te amo”. O passe que lhe consegue paz além de todo o entendimento, da cura à manifestação, é a simples frase “Eu te amo”. Dizê-la para o universo purifica tudo que existe em você, de modo que você pode vivenciar o milagre deste momento: o limite zero. A idéia é amar todas as coisas. Amar a gordura excessiva, o vício, a criança, o vizinho ou o cônjuge problemático; amar tudo, enfim. Dizer “Eu te amo” é o abre-te sésamo para experimentar o Divino.

A inspiração é mais importante do que a intenção. A intenção é um brinquedo da mente; a inspiração é uma diretiva do Divino. Em algum momento você se entregará e começará a prestar atenção, em vez de implorar e esperar. A intenção está tentando controlar a vida baseada na visão limitada do ego; a inspiração está recebendo uma mensagem do Divino e em seguida agindo em função dela. A intenção atua e produz resultados; a inspiração atua e produz milagres. Qual das duas você prefere?

Como curar a si mesmo (ou qualquer outra pessoa) e descobrir a saúde, a riqueza e a felicidade
Aqui estão duas técnicas comprovadas de ho’oponopono para você curar a si mesmo (ou qualquer outra pessoa) de qualquer coisa que você possa notar. Lembre-se de que o que você vê em outra pessoa também está em você, de modo que toda cura é uma cura de si mesmo. Ninguém, a não ser você, precisa executar esses processos. O mundo inteiro está nas suas mãos.
Em primeiro lugar, esta é a prece que Morrnah dizia para ajudar centenas ou até mesmo milhares de pessoas. É simples, porém poderosa:
Divino criador, pai, mãe, filho como um... Se eu, a minha família, parentes e ancestrais ofendemos a ti, tua família, teus parentes e teus ancestrais com pensamentos, palavras e ações desde o início da nossa criação até o presente, pedimos o teu perdão... Que esta prece limpe, purifique, liberte e secione todas as memórias, energias, vibrações e bloqueios negativos, e transmute essas energias indesejadas em uma luz pura... Está feito.
Segundo, a maneira de curar preferida do dr. Hew Len é dizer em primeiro lugar: “Sinto muito” e “Por favor, me perdoa”. Você diz isso para reconhecer que alguma coisa — sem que você saiba o que é — entrou no seu sistema corpo/mente.
Você não tem a menor idéia de como ela entrou. Você não precisa saber. Se você estiver com excesso de peso, você simplesmente assimilou o programa que o faz ficar dessa maneira. Ao dizer “Sinto muito”, você está dizendo ao Divino que deseja o perdão dentro de si mesmo para o que quer que tenha trazido isso para você. Você não está pedindo ao Divino que o perdoe; você está pedindo ao Divino que o ajude a perdoar a si mesmo.
Em seguida, você diz “Obrigado” e “Eu te amo”. Quando você diz “Obrigado”,
você está expressando gratidão. Você está demonstrando a sua confiança de que a questão será resolvida para o bem maior de todos os envolvidos. A frase “E te amo” transmuta a energia de emperrada em fluente. Ela o religa ao Divino. Como o estado zero é um estado de amor puro e possui limite zero, você está começando a alcançar esse estado expressando o amor.
O que acontece em seguida é da alçada do Divino. Você pode se sentir inspirado a tomar alguma medida. Seja o que for, faça-o. Se você não tem certeza de que medida deve tomar, use esse mesmo método de cura na sua confusão. Quando tudo estiver claro, você saberá o que fazer.

Tudo o que os cientistas sabem é que o cosmos foi gerado o partir do nada, e
retornará para a nada de onde ele veio. O universo começa e termino com zero.

Nem torres de pedra, nem muros de metal batido, Nem masmorras mal ventiladas, nem fortes elos de ferro podem ser retentores da força do espírito.

WILLIAM SHAKEAPEARE, Dramaturgo

7 comentários:

Anônimo disse...

adorei, muito obrigada. vou comprar esse livro viu!
marli.santoss@uol.com.br

Anônimo disse...

que maravilha ler essas linhas vou aplicar no meu dia a dia com muito amor obrigado.

silvia disse...

Adorei. tem muito a ver comigo. obrigada. silvia

Jan disse...

Gratidão!!!

Jan disse...

Gratidão!!!

estela vieira disse...

Eterna gratidão!

Orlanda Mc disse...

Obrigada !